quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sem

Por motivos especiais, eu tenho que quebrar a série( que só tem 1 texto). Esse poema é recente, e é imagético. Queria colocar aqui porque faz parte de um contexto atual. Mas sobre a série, eu tenho outros textos já, só que os acho ruim, quando estiver digno do público leitor, publicarei.


O título da poesia é Sem.




PS: Essa fonte não tinha acentos nem cedilha, a Emily editou isso pra mim e mudou a cor da fonte, que eu não tava conseguindo fazer no Gimp. Obrigado amor.

5 comentários:

.Emily~ disse...

Má, por nada, fiz nada, eu só quis dar uma mãozinha como sempre faço, e dou a minha <3

CA Ribeiro Neto disse...

Essa fonte não ajuda muito a leitura!

Mas a poesia é muito boa, apesar de ficar com uma sensação de "mais do mesmo".

Thiago César disse...

poeminha filet, mas faltou dizer de kem eh! hehe...

Paulo Henrique Passos disse...

Pôxa! coitado do eu lírico, totalmente desacreditado. Niilistazim esse aí.

Efeito Caos disse...

"Pôxa! coitado do eu lírico, totalmente desacreditado. Niilistazim esse aí." [2]

Putz! E eu que pensei a mesma coisa que o PHP, huahuahuahua

Como o passado se devora a si mesmo.